4 livros para ler no Dia Nacional do Livro Infantil!


Créditos: Divulgação


Ainda acabo fazendo livros onde as crianças possam morar“. Essa é uma das inúmeras frases de impacto de Monteiro Lobato que foram eternizadas. Dada a sua importância para a literatura brasileira, o autor foi o homenageado como símbolo do Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado em 18 de abril, nascimento de Lobato.

Quando se trata de literatura nacional, não podemos esquecer de grandes nomes como José Mauro de Vasconcelos, Ziraldo, e Mauricio de Sousa. Suas criações ultrapassaram os limites do Brasil e, alcançaram milhões de leitores em todo o mundo. Confira as sugestões de obras desses autores e outros nomes como Celso Sisto e Rosana Rios, todos do catálogo da Editora Melhoramentos. As obras estão disponíveis nas versões impressa e digital e, são encontradas nos principais players:

O Meu Pé de Laranja Lima- José Mauro de Vasconcelos

meu-pe-de-laranja-lima
Créditos: Divulgação

Um clássico da literatura brasileira, com adaptações para a televisão, o cinema e o teatro, O Meu Pé de Laranja Lima é desses livros que marcam época. Lançado em 1968, trata-se de uma história fortemente autobiográfica, que demonstra a mão de um escritor experiente, ciente do efeito que pode provocar nos leitores com suas cenas e a composição de seus personagens. O protagonista Zezé tem 6 anos e mora num bairro modesto, na zona norte do Rio de Janeiro. O pai está desempregado, e a família passa por dificuldades. O menino vive aprontando, sem jamais se conformar com as limitações que o mundo lhe impõe – viaja com sua imaginação, brinca, explora, descobre, responde aos adultos, mete-se em confusões, causa pequenos desastres. As surras que lhe aplicam seu pai e sua irmã mais velha são seu suplício, a ponto de fazê-lo querer desistir da vida. No entanto, o apego ao mundo que criou felizmente sempre fala mais alto. Só não há remédio para a dor, para a perda. E Zezé muito cedo descobrirá isso. A alegria e a tristeza não poderiam estar mais bem combinadas do que nestas páginas. E isso, se não explica, justifica a imensa popularidade alcançada pelo livro.

5… 4… 3… 2… 1 – Mônica e Menino Maluquinho Perdidos no Espaço – Ziraldo, Mauricio de Sousa e Manuel Filho

monica-e-menino-maluquinho
Créditos: Divulgação

Uma grande amizade pode se espalhar por todo o universo. É isso o que Mônica e Menino Maluquinho irão descobrir nesta incrível aventura. Basta fazer a contagem regressiva 5, 4, 3, 2, 1 para que tudo comece! E, claro, uma viagem tão emocionante pelo espaço sideral, na companhia do Astronauta, não seria completa se eles não estivessem com alguns de seus melhores amigos: Bocão e Chico Bento. Além de enfrentar o desconhecido, e viajar por lugares onde nenhum outro ser humano jamais esteve, levarão com eles três incríveis companheiros que estiveram perdidos no planeta Terra por longos anos. Agora é com você! Aperte o cinto, respire fundo e prepare-se para uma jornada inesquecível e sem fronteiras para amigos de verdade.

Flicts 50 anos – Ziraldo

flicts-ziraldo
Créditos: Divulgação

O solitário Flicts faz 50 anos e ainda pergunta: “Eu posso ser seu amigo?“. Um dos mais importantes livros da carreira de Ziraldo e do cenário cultural artístico brasileiro na década de 1960, Flicts completa 50 anos em julho de 2019. Para comemorar esta data tão importante, a designer e sobrinha do autor Adriana Lins e o designer e escritor Guto Lins, prepararam uma surpresa para Ziraldo e para o leitor. Uma edição comemorativa, fac-similar à primeira edição, acompanhada de comentários de grandes amigos de Ziraldo e importantes nomes da literatura e da arte brasileira, como Rachel de Queiroz, Millôr Fernandes e o primeiro editor do livro, Fernando de Castro Ferro. A crônica escrita por Carlos Drummond de Andrade no dia do lançamento do livro, está na íntegra nas páginas iniciais da obra, trazendo a opinião do poeta sobre essa obra-prima de Ziraldo.

Agora Pode Chover – Celso Sisto

agora-pode-chover
Créditos: Divulgação

Tatiana pegou a libélula com as mãos afoitas. Tinha acabado de se lembrar do avô Orlando. Não com tristeza. Só com saudade. Tinha ficado combinado entre eles: “Quando você sentir a minha falta, olhe para o céu. Com certeza eu estarei voando perto de você”. Foi o que ficou dito. E para sempre dito. E ainda por cima, combinado. Uma história sensível e doce sobre a perda e a separação.

Quer saber mais sobre Livros? Clique aqui!

Jaqueline Gomes

Jaqueline Gomes

Jornalista graduada pela Universidade Nove de Julho, é especialista em Jornalismo Cultural, Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais. Trabalha na área de comunicação desde 2010. Fundadora do Site Acesso Cultural, sempre quis desenvolver um veículo onde pudesse noticiar o que acontece de novidade no meio do entretenimento cultural. Apaixonada por shows de rock, livros, filmes, séries e animais.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *