Valentine’s Day: 5 romances de época para exaltar o amor


Créditos: Freepik


Se há um lugar no mundo aonde o amor é exaltado, é nas páginas dos romances de época. As histórias vão além de mocinho e mocinha, trazem contexto histórico, com enredos que, apesar de se passar em épocas diferentes da nossa, permanecem atuais e fazem refletir sobre o amor, as diferenças, o respeito e a amizade. Por isso, listamos cinco histórias apaixonantes e arrebatadoras que vão tirar o folego, além de inspirar os casais apaixonados neste Valentine’s Day.

1) Razão e Sensibilidade
Razão e Sensibilidade apresenta a história das irmãs Dashwoods, que após a morte do pai, são obrigadas a sair da mansão confortável onde viviam para morar numa simples casa em Barton Park. Enquanto Elinor é racional e lógica, Marianne é o oposto: sensível e romântica, recusando-se se comportar da maneira hipócrita que a sociedade da época impõe a ela. Cercadas pela aristocracia inglesa, as irmãs Dashwoods têm de lidar com expectativas injustas por não possuir fortuna e não ter bons relacionamentos na sociedade. Elas enfrentam grandes desafios em suas vidas amorosas e são forçadas a encontrar o equilíbrio entre razão e emoção antes de conquistarem o verdadeiro amor.

2) A Dama das Lavandas
Victoire Martinet mora com Augustine, a tia solteirona, e Amélie, a empregada desastrada, em Provence, onde vivem do plantio de lavandas. Vic cria a fórmula de um perfume irresistível com a intenção de abalar a nobreza parisiense. Quando o destino coloca o devasso magnata do vinho, Maurice Bourguignon, no caminho da jardinista, deixando-o fascinado pelo seu enfeitiçador cheiro de lavandas, ele lhe faz uma proposta irrecusável; endividada, ela aceita. Logo, uma atração incandescente os envolve, e mesmo Maurice sendo noivo da bilionária Marcelle Blanche, não deixa de tentar seduzi-la. Mas Vic não quer somente uma noite de luxúria; apaixonada, ela deseja que ele lhe dê o seu coração por inteiro, mesmo sabendo que ele poderá parti-lo em pedaços. Será que valerá a pena amar assim?

3) D’Angelo – O Viajante de Conca
D’Angelo – O Viajante de Conca apresenta a emocionante história de Matteo, um homem com mais de 40 anos que perdeu a esposa e a filha durante a 2ª Guerra Mundial e passou a criar o filho sozinho, em Milão. Matteo, empresário do ramo da moda, se apaixona por Valentine, proprietária de um hotel na Costa Amalfitana. O autor traz para as páginas deste romance de época assuntos como empoderamento feminino, parentalidade e pioneirismo empresarial. Descrito de forma sensível e com cenários encantadores, este D’Angelo – O Viajante de Conca faz refletir sobre como a amor pode se apresentar de diferentes maneiras.

4) O Abrigo de Kulê
A escritora brasiliense Juliana Valentim ambientou este romance nas fazendas brasileiras da década de 40 para tratar de um tema que precisa ser revisitado: a escravidão. A obra discute amor, coragem, liberdade e sororidade, a solidariedade feminina que nasce em tempos desafiadores. E faz o leitor passear por paisagens e costumes do interior do Brasil.

5) Sol e Sombras
João Antunes da Silveira Savelli é um jovem gaúcho, filho de imigrantes açorianos que vieram tentar a vida no Rio Grande do Sul (RS). Seus pais ali se instalaram. Nasceu quando a família trabalhava na Estância de Santos Reis, de propriedade do General Manuel do Nascimento Vargas, pai do futuro presidente Getúlio Vargas, e ali fora criado. Desde criança, aprendera a decifrar a natureza. Tornou-se exímio vaqueiro e se revelou um jovem de arrebatadora beleza. Tão logo as mulheres o vissem se sentiam inapelavelmente atraídas. Suas relações pessoais seriam marcadas por conflitos psicológicos que se originavam da oscilação constante entre a beleza e as emoções derivadas, que frequentemente colocavam à flor da pele circunstâncias dolorosas da condição humana.

Quer saber mais sobre Livros? Clique aqui!

Jaqueline Gomes

Jaqueline Gomes

Jornalista graduada pela Universidade Nove de Julho, é especialista em Jornalismo Cultural, Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais. Trabalha na área de comunicação desde 2010. Fundadora do Site Acesso Cultural, sempre quis desenvolver um veículo onde pudesse noticiar o que acontece de novidade no meio do entretenimento cultural. Apaixonada por shows de rock, livros, filmes, séries e animais.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta