Eduardo Kobra lança “Memorial da Fé por todas as vítimas do Covid-19”


Créditos: Airton Gontow


O conhecido muralista Eduardo Kobra inaugurou na última quinta-feira, 6 de maio, o mural “Coexistência – Memorial da Fé por todas as vítimas do Covid-19”, feito inicialmente em uma tela, no ano passado. O mural de 28 metros de largura por 7 metros de altura, fica na rua Henrique Schaumann, em frente à Igreja do Calvário (na esquina com a rua Cardeal Arcoverde), na zona Oeste de São Paulo. Kobra retrata crianças de cinco religiões – Islamismo, Budismo, Cristianismo, Judaísmo e Hinduísmo. A obra traz uma mensagem de fé e de esperança, ao mesmo tempo em que lembra as vítimas do Covid-19 e destaca a importância da Ciência, simbolizada pelo fundamental uso de máscaras. “Da mesma forma que Deus deu ao homem o dom da arte, também dotou o ser humano da capacidade da produzir Ciência. Por isso não há qualquer contradição em acreditar em Deus e, também, seguir as recomendações dos especialistas no combate ao Covid-19”, diz o muralista, que trabalhou no mural durante 20 dias, atrás de tapumes, para evitar aglomerações.

Estiveram presentes, além de Kobra, representantes das cinco religiões e de convidados de diversas outras religiões. Os líderes religiosos fizeram orações voltadas às vítimas do Covid-19 e também destacaram a importância da ciência, além da fé. Participaram do evento Dom Odilo Pedro Scherer, cardeal arcebispo da Arquidiocese de São Paulo; o padre Norberto Donizete Brocardo, da Paróquia São Paulo da Cruz (Calvário); o padre Leudes Aparecido de Paula, superior provincial dos passionistas; Michel Schlesinger, rabino da Congregação Israelita Paulista (CIP), o monge Ryozan, sensei na comunidade Zen Budista; o sheik Jihad Hammadeh, vice-presidente da União Nacional das Entidades Islâmicas (acompanhado da esposa, Nadia Hussein, diretora do Instituto Cinco Pilares); Sri Prem Baba, mestre espiritual e herdeiro da linhagem de yogues indianos Sachcha; pastor Gustavo Schmitt, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB); Iyalorixa Carmen de Oxum (Mãe Carmen de Oxum) e o Babalorixá Karlito de Oxumarê, sacerdotes do Ilê Olá Omi Ase Opo Araka, do Candomblé. Foi colocada por Kobra, no lado direito do mural, uma caixa para que as pessoas deixem bilhetes com pedidos, agradecimentos e orações.

Créditos: Bráulio Costa Couto

“Ao longo da história, a Humanidade, alquebrada pelo sofrimento, ao mesmo tempo que, pela fé, procura o seu sentido, pela inspirada ciência, busca a sua superação. Este singelo painel, de autoria do renomado artista Eduardo Kobra, acentua o altruísmo de homens e mulheres que se unem, no mundo inteiro, para minimizar tanta dor, tanta morte e tanto pranto. O Covid-19 traz uma dor que flagela a humanidade, exige uma resposta da ciência e ao mesmo tempo lança um apelo às nossas religiões. Entre as vozes dissonantes da incerteza, a humanidade pela Fé e Ciência, se alia à arte que, no seu simbolismo, comunica o anseio mais profundo de nossa alma, de uma Terra sem males. As expressões religiosas no lançamento do mural estão comprometidas com a vida, a Paz e a esperança”, disse na apresentação do lançamento o padre Norberto Donizete Brocardo, da Paróquia São Paulo da Cruz (Calvário), que cedeu o mural para o artista fazer mais uma obra (Kobra já realizou diversos murais no local).

“O mural do Kobra é uma linda manifestação artística de nosso desejo de sair desta pandemia com uma sociedade de diálogo e respeito fortalecidos”, afirmou o rabino Michel Schlesinger, que complementa: “erra quem acredita que existe uma oposição, uma briga, uma contradição entre ciência e religião. Ciência e religião são aliadas, cada uma na sua área. O que uma faz a outra não consegue fazer. Quando elas se reúnem em harmonia, em respeito, todos nós ganhamos como sociedade”.

Créditos: Bráulio Costa Couto

De acordo com Sri Prem Baba, “aprendemos as maiores lições quando atravessamos grandes desafios de dor e perda. Essa manifestação por meio da arte traz um valoroso ensinamento: é hora de transcendermos definitivamente os preconceitos que nos afastam para podermos então nos acolhermos e nos ajudarmos”.

Já o sheik Jihad Hammadeh, afirmou: “Deus diz no Alcorão sagrado: ‘não coloquem suas vidas em risco, com as próprias mãos!’ A preservação da vida é uma obrigação de todas as pessoas e é uma das maiores adorações a Deus. Portanto, cuidar da própria saúde e dos outros, é preservar a vida de todos. O Islam e a Ciência são inseparáveis! Cuide-se e cuide dos outros”.

Créditos: Bráulio Costa Couto

Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo da Arquidiocese de São Paulo, pediu as bênçãos de Deus para a humanidade, principalmente a todos que sofrem com as consequências da pandemia, aos profissionais da Saúde envolvidos nos atendimentos, aos que se dedicam à pesquisa e produção de medicamentos e vacinas e, também, aos governantes, “para que façam uma boa gestão neste momento de crise”.

Andréia Bueno

Andréia Bueno

Apaixonada pelas artes em geral, ama registrar cada instante, seja no trabalho ou durante viagens. Já realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais para o Acesso Cultural. Adora conhecer novos lugares e culturas, tendo viajado por 14 países entre o continente europeu, africano e americano.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta