Espetáculo ‘Heroínas da História’ estreia no Teatro Ruth Escobar


Créditos: Divulgação


Quem foi Maria Felipa, Maria Quitéria, Aracy de Carvalho e Margarida Maria Alves? Mulheres que fizeram história, guerreiras, fadas madrinhas e sementes. Todas com um Super Poder.

O espetáculo infantil, HEROÍNAS NA HISTÓRIA, conta a história dessas mulheres que salvaram vidas, lutaram em batalhas e conquistaram direitos. Verdadeiras heroínas. No espetáculo é possível conhecer a história de maneira lúdica e divertida.

O grande livro de Histórias é aberto e as histórias de cada heroína são escritas, guiadas pela linha do tempo.

Começando com Maria Quitéria, uma mulher tão antiga que viveu no Brasil antes mesmo dele se chamar Brasil, e se tornou a primeira mulher no exército brasileiro lutando por independência.

Você saber o que quer dizer independência?

A peça aborda o universo das heroínas, mulheres reais e notáveis. Faz ao espectador ter uma viagem e assim conhecer a vida de grandes mulheres brasileiras como: Margarida Maria Alves, Aracy de Carvalho, Maria Quitéria e Maria Felipa, mulheres que não aceitaram os lugares que lhes deram, criaram alternativas e buscaram a justiça, permite construir a autoestima de meninas e mulheres.

Demonstrar através do teatro que mulheres lutaram pela independência, combateram o nazismo, lutaram contra injustiças, é permitir que meninas e mulheres criem uma identidade de desenvolvimento de suas habilidades. E permitir aos meninos e homens uma identidade respeitosa em relação às mulheres. O que politicamente é um passo em direção a equidade de gênero e a diminuição das desigualdades sócio-econômico-culturais, o que favorece a todos.

Para o diretor Tato Fischer, “Revisitar as heroínas que Litta Mogoff abarcou para compor este trabalho da CIA Guarda Chuva, voltando-se para conhecer a efetiva participação do feminino na história, faz-nos ao menos perceber quanto a humanidade se desenvolveu a partir do que fizeram essas mulheres em sua existência”.

Segundo Michael Pollak em seus estudos sobre memória social, a memória é um fenômeno construído social e individualmente, é ligada fenomenologicamente pela memória e o sentimento de identidade. Isto é, a imagem que o indivíduo constrói de si próprio e também apresenta aos outros, para ser percebido da forma que deseja. A memória é algo construído, um selecionado de fatos.

A memória também é constituída por pessoas, personagens, que se tornem conhecidas de um grupo mesmo que separados por séculos. Rememorar as personagens “Heroínas na História” é um projeto de resgate da memória social, resgate da participação de mulheres na história nacional e uma ferramenta para empoderamento. A memória é um elemento constituinte do sentimento de identidade. Assim, anular pouco a pouco a participação histórica dessas mulheres é uma maneira de diminuir as capacidades de todas as mulheres.

Serviço

Heroínas na História
Teatro Ruth Escobar (300 lugares)
Rua dos Ingleses 209 – Bela Vista
Bilheteria sábados e domingos a partir das 14h
Telefone: 3284-3382
Estreia dia 03 de outubro
Domingos às 16h
Temporada até 31 de outubro
Classificação: Livre
Duração: 45 minutos
Ingressos: R$ 50,00
Vendas on line:  Sampa On Line
Ingresso antecipado R$25,00
Ingresso com kit jogos R$50,00

Andréia Bueno

Andréia Bueno

Apaixonada pelas artes em geral, ama registrar cada instante, seja no trabalho ou durante viagens. Já realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais para o Acesso Cultural. Adora conhecer novos lugares e culturas, tendo viajado por 14 países entre o continente europeu, africano e americano.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta