Exposição “Vidas Bordadas” celebra a riqueza e a diversidade da arte e do artesanato regional


Créditos: Divulgação


Com a curadoria de Marcelo Rosenbaum, diretor da Rosenbaum Arquitetura e Design, e de Cris Rosenbaum, co-fundadora da Feira na Rosenbaum, a galeria no primeiro andar da loja abrigará a exposição de bordados “Vidas Bordadas”.

Para celebrar a riqueza e a diversidade da delicada arte e do artesanato regional, foram convidados a Cooperativa de Bordadeiras Bordana, que apresentará uma coleção desenvolvida em oficinas dirigidas pelo designer Renato Imbroisi; o Projeto Doninhas de Lavras Novas, ganhador do título “Patrimônio Imaterial de Ouro Preto” e do prêmio “Culturas Populares” pelo Ministério da Cultura; o Projeto Fio, que capacita bordadeiras por meio de “arte terapia” nas comunidades do Rio de Janeiro; além da artista bordadeira Gaby de Aragão e da designer têxtil argentina Valentina Bocchetto.

Créditos: Divulgação

HÁ VIDAS BORDADAS EM NÓS – Por Jackson Araújo

“O novo mundo “pós-pandemia” está entendendo que é preciso humanizar todos os pontos de contato para impulsionar um estilo de vida responsável no seu mais amplo sentido.

O que se afirma cada vez mais e definitivamente relevante, urgente e necessário são as manualidades e artesanias, resgatando o sentido de toque, de abraço, de emoção, de vida e coletividade; eternos aprendizados da ressaca dos duros tempos de distanciamento físico, sem beijos, carinhos e abraços.

Assim, essa exposição abraça a arte feita à muitas mãos por coletivos de artistas e por artistas que trazem em seus pontos, agulhas e linhas os aprendizados ancestrais da coletividade feminina, aqui resgatando de maneira poética e diversa o real sentido da palavra conexão.

Repare nos pontos que constroem os bordados em suas diferentes superfícies –telas, roupas, cestarias, bastidores–, em última análise eles são como nós: metáforas que transitam entre pontos que amarram tramas de linhas e que conectam pessoas no sentido mais puro da coletividade. Simplesmente, nós.

Nesse novo contexto que se configura no porvir aqui representado, uma certeza se fortalece: as manualidades ganharão cada vez mais significado por identificar um passado comum e trazer consigo sentimentos de pertencimento e continuidade. O feito à mão tem em si diferentes camadas –materiais, saberes, pessoas– para formar algo inédito. Nunca um bordado será idêntico a outro.

É este entrelaçamento que confere uma arquitetura inovadora à condição humana, fazendo interessante correlação entre a ancestralidades e o desenho de um novo tecido social que está sendo amalgamado agora. É preciso estar atento aos nós.”

Jackson Araújo é comunicólogo ativista da sustentabilidade, criador do termo Economia Afetiva e diretor criativo do Festival Trama Afetiva.

Créditos: Divulgação

SERVIÇO

EXPOSIÇÃO VIDAS BORDADAS | 04 DE MAIO A 04 DE JUNHO | 10H ÀS 19H

Rua Mateus Grou, 513, 1º andar, Pinheiros, São Paulo, SP

O público será recebido com todos os cuidados de higiene e as orientações do Protocolos de Saúde e Segurança pós-covid-19.

Jaqueline Gomes

Jaqueline Gomes

Jornalista graduada pela Universidade Nove de Julho, é especialista em Jornalismo Cultural, Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais. Trabalha na área de comunicação desde 2010. Fundadora do Site Acesso Cultural, sempre quis desenvolver um veículo onde pudesse noticiar o que acontece de novidade no meio do entretenimento cultural. Apaixonada por shows de rock, livros, filmes, séries e animais.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta