Musical inspirado em Santos Dumont estreia em Campos do Jordão


Créditos: Caio Gallucci


Aconteceu neste fim de semana a estreia do espetáculo “Além do Ar – Um Musical inspirado em Santos Dumont“, que agitou três noites em Campos do Jordão, começando dia 22. Trata-se do novo projeto original da Fundação Lia Maria Aguiar, que escolheu honrar o maior nome brasileiro da Aviação, Alberto Santos Dumont, em uma superprodução cheia de escolhas criativas e soluções cênicas especiais.

A noite para convidados, no dia 23, contou com a presença de Dona Lia Maria Aguiar, fundadora da instituição que fomenta a cultura e bem-estar social em Campos do Jordão, o diretor Luiz Goshima, membros da diretoria da Fundação, e Ricardo Magalhães, vice-presidente do Instituto que leva o nome do ícone brasileiro homenageado. Também marcaram presença nas primeiras noites artistas como a atriz e cantora Alessandra Maestrini, os atores Osmar Silveira, Fabiano Augusto e Diego Velloso, e apresentadora MariMoon, além de jornalistas como Ubiratan Brasil, editor-chefe do Caderno de Cultura do Estadão, o colunista Marcelo Bandeira, e a apresentadora Ana Paula Torquetti, da Record Vale. Já no domingo, 24, o espetáculo recebeu membros da imprensa de cultura e entretenimento de São Paulo, em uma ação inédita para a Fundação, e que somaram ao todo 11 veículos de alcance local, nacional e até mesmo internacional, sendo alguns deles especializados no universo em constante crescente do teatro musical.

Créditos: Rodrigo Scarpa

O musical iniciou sua curta temporada no Auditório Claudio Santoro com nomes que já se tornaram referência no teatro e TV, como Cássio Scapin, que vive o protagonista junto com André Torquato. No elenco ainda Mira Haar, Felipe Carvalhido, Pedro Arrais, Dante Paccola, Thiago Claro França e Giselle Tigre. A mágica em cena se completa com a presença de 42 crianças e jovens do Núcleo de Teatro da instituição, coordenado por Viviane Santos, entre eles, Raí Palma e Francisco Arruda, que têm a função de dividir o papel do homenageado junto a Scapin e Torquato, representando quatro importantes fases da vida do inventor e completando todo o ciclo de desenvolvimento, da infância aos últimos dias da fase adulta.

Longe de projetar uma cronologia, o texto escrito por Fernanda Maia, com colaboração de Thiago Gimenes, responsável pela direção musical, letra e música de 14 canções originais, e também de Viviane Santos, contrapõe passado, presente e futuro em diversos momentos, como se conhecidos de dentro da mente do inventor. A direção geral de Gimenes ao lado de Keila Fuke, que também se divide em duas frentes, coreografias e direção de movimento, se encarrega de conduzir os atos heróicos, os pensamentos conflitantes e as lembranças saudosas da mente inquieta e curiosa de Dumont, cumprindo sua missão de levar adiante a trajetória deste mineiro do município de Palmira (hoje rebatizado em honra a ele). O Espetáculo resgata não só as memórias e a valorização deste que mudou a história, mas também promove enriquecimento cultural e artístico aos alunos da Fundação e aos demais envolvidos, além de passar mensagens importantes sobre a necessidade de acreditar, persistir e conquistar aquilo que se sonha.

Além da narrativa arrojada, lúdica, com pitadas de humor e muita emoção, onde os fragmentos de uma vida cheia de altos e baixos podem ser conhecidos de forma sutil e delicada, o espetáculo conta com números superlativos e enche os olhos por sua engenhosidade. Ao todo, o prestigiado Fábio Namatame assina 250 figurinos de época para o musical, que conta ainda com mais de 30 perucas assinadas pelo visagista Claudinei Hidalgo. Destaca-se também na produção assinada por Leonardo Faé, a cenografia dor irmãos Chris e Nilton Aizner, com escolhas leves e opções multiuso que misturam escadas e celeiros de ideias aos protótipos, pipas e balões do premiado engenheiro Ken Yamazato, reforçando ainda mais a atmosfera mágica junto da iluminação de Rodrigo Alves e o desenho de som de Tocko Michelazzo.

A divulgação do musical contou ainda com outros desdobramentos e iniciativas interessantes que movimentaram a cidade de Campos do Jordão, sobretudo estudantes de escolas públicas, com um concurso cultural. Como forma de envolver a população local e, principalmente, para resgatar a memória de Santos Dumont entre os mais jovens, a Fundação criou uma ação para criação de protótipos do célebre 14-BIS.

Ao todo, 14 escolas municipais participaram da competição, que premiou os três melhores modelos com melhorias para as escolas custeadas pela instituição. O júri foi composto por membros do time criativo do espetáculo, da Fundação e um representante da família de Santos Dumont. Os modelos estão expostos no hall do Auditório Claudio Santoro até o final da temporada do espetáculo, em 01 de dezembro.

Créditos: Caio Gallucci

Serviço:

Local: Auditório Claudio Santoro

Av. Dr. Luis Arrobas Martins – Campos do Jordão – SP

Temporada: 22, 23,24, 28, 29, 30 de novembro e 01 de dezembro | 20h

Valor: R$10 (inteira) | R$5 (meia-entrada)

Capacidade: 814 lugares

Vendas: Aqui ou na Sede da Fundação Lia Maria Aguiar localizada na Av. Dr. Victor Godinho, 455 – Campos do Jordão – SP

Rodrigo Bueno

Rodrigo Bueno

Fotógrafo formado pela Escola de Fotografia Foto Conceito, já cobriu cerca de 2 mil shows nacionais e internacionais, além de eventos exclusivos como coletivas de imprensa e pré-estreias. Também é Executivo de Negócios, Jornalista, Web Design, Criador e editor de conteúdo de redes sociais.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *