Prêmio Bibi Ferreira anuncia data da 8ª edição com celebração presencial


Créditos: Náira Messa


Com o avanço do programa de vacinação na cidade de São Paulo e o fim da quarentena, que permite, entre liberações e flexibilizações, a retomada do setor cultural e seus eventos, o Prêmio Bibi Ferreira, que já havia divulgado a realização de sua 8ª edição no Teatro Sério Cardoso, em São Paulo, de forma virtual, se adapta agora às novas possibilidades e anuncia sua cerimônia presencial, marcada para a noite de 20 de outubro, aderindo todos os protocolos e medidas de segurança do Governo do Estado.

Idealizado pelo produtor Marllos Silva, da Marcenaria de Cultura, o prêmio, considerado um dos mais importantes e realizado via PROAC LAB neste ano, receberá especialmente entre os convidados profissionais envolvidos na cerimônia e seus indicados, que compõem uma lista com mais de 100 nomes entre artistas, produtores e criativos, representantes das produções destacadas nas 29 categorias dedicadas ao teatro musical e ao teatro de prosa – este avaliado desde a última edição, em 2019. A restrição se alinha à capacidade atual permitida, limitada a 60% de ocupação.

Para os que desejarem acompanhar a cerimônia, marcada pelos tradicionais números musicais de abertura e encerramento, criados especialmente para a celebração, além das apresentações de alguns espetáculos indicados a Melhor Musical, o evento, conduzido pelos já conhecidos Mestres de Cerimônia, Alessandra Maestrini e Miguel Falabella, terá transmissão ao vivo através do #CulturaEmCasa, plataforma gratuita de conteúdo cultural criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, pensada para propagar a Arte.

“O Prêmio foi criado para ser um momento de confraternização da comunidade, e após um período tão longo de distanciamento, sem podermos trabalhar, exercer a nossa arte, confraternizar em palcos e coxias, a cerimônia ganha um significado ainda mais forte. É o marco da volta do teatro, o reencontro do público com os artistas. O nosso renascimento. Sem dúvida será uma cerimônia muito emocionante, poderemos homenagear os nossos colegas que não estarão mais nas coxias e palcos. O teatro está voltando, mas os artistas só fazem 50% do espetáculo, os outro 50% são feitos pelo público”, diz Marllos.

Para a edição de 2021, o júri técnico, composto por Charlles Dalla, Fabiana Seragusa, Jamil Dias, Luiz Amorim, Miguel Arcanjo Prado e Ubiratan Brasil, avaliou 24 espetáculos, sendo 14 musicais e 10 não-musicais, que cumpriram temporada inédita em São Paulo entre julho de 2019 e 17 de março de 2020, considerando a realização de no mínimo 12 apresentações entre outros requisitos de elegibilidade, o que acabou por adiar a participação de espetáculos recém estreados na última semana de avaliação, como ‘Donna Summer Musical’ e ‘Silvio Santos Vem Aí’, que, com a reestreia, poderão concorrer em 2022.

“Em um momento tão difícil para nós, ter um ponto de retorno que aumente a chama do teatro é muito importante. Não vamos esquecer o que vivemos nestes 18 meses de paralisação, mas foi pensando no trabalho de todos que se dedicaram às produções de 2019 e do começo de 2020 que optamos por realizar a cerimônia celebrando estes trabalhos, para que eles não fiquem no esquecimento. Não estamos pegando de onde parou e seguimos, mas não podemos abandonar a nossa história”, finaliza Marllos.

Andréia Bueno

Andréia Bueno

Apaixonada pelas artes em geral, ama registrar cada instante, seja no trabalho ou durante viagens. Já realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais para o Acesso Cultural. Adora conhecer novos lugares e culturas, tendo viajado por 14 países entre o continente europeu, africano e americano.

Facebook Instagram

Deixe uma resposta