Exposição interativa sobre Tim Burton recebe Mostra de Cinema


Créditos: Divulgação


A diversão nas férias de julho está garantida para quem der uma passada na disputada exposição “A Beleza Sombria dos Monstros: 13 Anos da Arte de Tim Burton”, na Oca, do Parque Ibirapuera, em São Paulo.

Isso porque além da exposição, que conta com 14 salas interativas e instagramáveis, o local também recebe, nos dias 30 e 31 de julho, sempre aos sábados e domingos, uma mostra exclusiva de  filmes de Tim Burton. Nesse período, os fãs do cineasta poderão assistir alguns dos mais famosos longas do aclamado diretor, como Edward Dumbo, A lenda do cavaleiro sem cabeça e Batman – O Retorno .

“Tim Burton é um cineasta que tem fãs espalhados em todo o mundo, e em São Paulo não é diferente. Seus filmes são muito marcantes visualmente. E de sua mente saíram histórias e personagens fantásticos como ‘Edward Mãos de Tesoura’ e ‘Beetlejuice’. Personagens esses, que hoje fazem parte do imaginário dos cinéfilos”, afirma Breno Lira Gomes — curador da mostra de filmes.

Créditos: Diogo Ramos

Quem comprar o ingresso para conferir essa experiência única na Oca poderá se deitar confortavelmente em puffs individuais e curtir os filmes sendo projetados no teto do local. Como a mostra acontecerá ao mesmo tempo que o funcionamento da exposição, para os sons desses dois ambientes distintos não se misturarem, serão distribuídos na mostra fones de ouvido — que devem ser devolvidos ao final da sessão — para que as pessoas consigam assistir às obras clássicas projetadas com muita qualidade de som, sem perder nenhum detalhe.

“Esse mundo disforme em que, ao mesmo tempo, parece que você está num sonho e num pesadelo, personagens amalucados, os cenários e figurinos tão bem elaborados e uma trilha sonora marcante sempre me fascinaram na obra de Tim Burton. O primeiro filme dele que eu assisti foi ‘Os Fantasmas Se Divertem’, que eu não me cansava de alugar na videolocadora. Com o tempo fui tendo um olhar mais crítico sobre seus filmes, gostando mais de uns do que de outros. Acho ‘A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça’ uma obra-prima do horror e uma bela homenagem às produções dos estúdios Hammer”, completa Breno.

E essa sensação lúdica ainda pode ser levada para casa, já que a mostra contará com combos especiais de pipoca e refrigerantes com os desenhos do artista estampados nos copos estilizados.

Confira a programação:

Sábado – 30 de julho
10h30: Dumbo (dublado) – 128 min
Classificação – 10 anos

14h: Peixe grande e suas histórias maravilhosas (legendado) – 125 min
Classificação – Livre

16h40: A lenda do cavaleiro sem cabeça (legendado) – 105 min
Classificação – 18 anos

19h: Batman: o retorno (legendado) – 126 min
Classificação – 12 anos

Domingo – 31 de julho
10h30: Alice no país das maravilhas (dublado) – 109 min
Classificação – 12 anos

14h: Marte ataca! (legendado) – 106 min
Classificação – 14 anos

16h20: Ed Wood (legendado) – 126 min
Classificação – 14 anos

19h: Os fantasmas se divertem (legendado)– 92 min
Classificação – Livre

Os ingressos para assistir somente aos filmes custam a partir de R$15,00 e podem ser adquiridos na bilheteria oficial (Oca – somente nos horários/dias da exposição) e através do site www.ingressorapido.com.br.

Música, performances e poesia são destaques na Iª Mostra de Arte Trans Preta


Créditos: Divulgação


De 29 de novembro a 1º de dezembro, a partir das 19h, acontece a Iª Mostra de Arte Trans Preta. O evento, promovido pelo Casarão Brasil – Associação LGBTI, reúne artistas trans pretos e pretas para apresentações especiais em celebração ao Mês da Consciência Negra (novembro) e Dia Mundial da AIDS (1º de dezembro). Tudo on-line no canal do Casarão no YouTube.

O programa traz exibições de música, performances e poesia. Também ações de resistência, cidadania, conquista de espaços e luta contra preconceitos, racismo e LGBTQIA+ fobia. Participam: Onika, Brunessa Loppez, Marcinha Corinto, Richard Byron, Natasha Trans e Sodomita – artistas trans pretes e, ainda, as convidadas Danny Cowlt, Marcia Pantera, Silvetty Montilla e Victoria Principal.

Créditos: Divulgação

A realização da I Mostra está baseada e centrada na visão de inclusão cultural e artística da população paulista trans e preta. Possui objetivo de unir ações e manifestações culturais individuais e/ou coletivas, vinculando as histórias dessas pessoas como forma de afirmação. Esta edição conta com o apoio da Gilead e do Tinder.

O Casarão Brasil – Associação LGBTI foi Fundado em 2008, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). Desenvolve ações de promoção de saúde, prevenção do HIV e integração na sociedade de membros da comunidade LGBTI+, tomando como partida os Direitos Humanos, com atividades interseccionais nas áreas da arte, cultura, educação, empregabilidade e saúde.

Serviço Completo:
I Mostra de Arte Trans Preta
Quando: 29 de novembro a 1º de dezembro de 2021, das 19h às 20h
Onde: no canal YouTube do Casarão Brasil
Realização: Casarão Brasil – Associação LGBTI
Apoio: Gilead, Tinder
www.casaraobrasil.org.br
E-mail: contato@casaraobrasil.org.br

Betty Faria ganha mostra no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo


Créditos: Divulgação


A Mostra Betty Faria – 80 anos apresenta 15 longas de diferentes períodos da história do cinema para homenagear uma das mais respeitadas atrizes do Brasil. Com curadoria de Leandro Pardi, ex-coordenador da Cinemateca Brasileira, a mostra reforça o compromisso da valorização e celebração do Cinema Brasileiro.

Entre os destaques da programação estão o longa “O Casal” (1975) de Daniel Filho, que em seu lançamento fez mais de 1 milhão de espectadores nos cinemas, “Jubiabá” (1986), de Nelson Pereira dos Santos, baseado no livro homônimo de Jorge Amado e “Bens Confiscados” (2004) de Carlos Reichenbach. Ao longo de sua carreira, Betty Faria fez parcerias com alguns diretores como Cacá Diegues com quem trabalhou em “Bye Bye Brasil” (1980), considerado um dos mais importantes filmes brasileiros de todos os tempos segundo a imprensa especializada e “Um Trem para as Estrelas” (1987), que participou da seleção oficial do Festival de Cannes e foi o representante brasileiro ao Oscar em 1987. Outra parceria de sucesso foi com o diretor Bruno Barreto, com quem Betty trabalhou em “A Estrela Sobe” (1974), que será exibido na mostra em uma rara cópia em 35mm e “Romance da Empregada” (1987) que terá exibições com recursos de acessibilidade (libras, áudio descrição e legenda descritiva).

Filmes do início da carreira da atriz também estão na programação: “O Beijo” (1963), de Flávio Tambellini, baseado na peça de Nelson Rodrigues e “Os Monstros de Babaloo” (1970) de Elyseu Visconti.

Créditos: Divulgação

Durante todo o período da mostra, dois filmes da programação ficarão disponíveis de forma online e gratuita para todo o Brasil através da plataforma Eventim :“Perfume de Gardênia” (1992), de Guilherme de Almeida Prado, no qual Betty contracena com nomes como Sérgio Mamberti, Christiane Torloni e Helena Ignez e “Marlene de Souza” (2004), filme pouco conhecido da atriz onde ela divide a cena com a atriz portuguesa Maria de Medeiros em locações em São Paulo, Rio de Janeiro, região de Piemonte e Paris.

Para finalizar, a mostra realiza uma ação formativa através da masterclass ministrada pelo cineasta e programador Sergio Silva. “Filmografia Básica do Cinema Brasileiro’’ é uma oficina online sobre memória audiovisual e cinema brasileiro, utilizando análise de filmes, destacando as experiências que definiram o perfil da produção cinematográfica no Brasil e traçando uma breve filmografia básica sobre memória audiovisual e cinema brasileiro.

Créditos: Divulgação

O catálogo, que traz a filmografia completa e uma entrevista inédita da atriz, será disponibilizado de forma online e gratuita no site do CCBB.

Programação
22/09 quarta
14:30h – Bens Confiscados
17h – O Beijo

23/09 quinta
14h – Chega de saudade
16:20h – Perfume de Gardênia

24/09 sexta
14:20h – O Casal
16:40h – Um Trem Para as Estrelas

25/09 sábado
14:30h – As Sete faces de um Cafajeste
16:40h – A Lei do Cão

26/09 domingo
14:20- Jubiabá
16:40 – Os Monstros de Babaloo

27/09 segunda
14:20h – O Bom Burguês
16:40h – Bye bye Brasil

29/09 quarta
14:30h – Chega de Saudade
16:40h – O Casal

30/09 quinta
14:30h – Jubiabá
16:45h – O Bom Burguês

01/10 sexta
14:40h – O Beijo
17h – O Romance da Empregada

02/10 sábado
14:20h – Marlene de Sousa
16:40h – Bye bye Brasil

03/10 domingo
14:20h – Bens Confiscados
16:45h – Um Trem Para as Estrelas

04/10 segunda
14:20h – O Casal
16:50h – Chega de Saudade
06/10 quarta
14:20h – Bens Confiscados
16:50h – O Romance da Empregada (sessão inclusiva: libras, audiodescrição e closed caption)

07/10 quinta
13h – Os Monstros de Babaloo
15:10h – Debate: Protagonismo feminino no cinema brasileiro (transmissão no cinema)
16:45h – Um Trem Para as Estrelas

08/10 sexta
14:40h – O Bom Burguês
16:50h – Jubiabá

09/10 sábado
13h – Conversa: Bate papo com Betty Faria (transmissão no cinema)
14:40h – A Estrela Sobe
17:10h – O Beijo

10/10 domingo
14:20 – Os monstros de Babaloo
16:30 – Perfume de Gardênia

11/10 segunda
14h – Aula: Filmografia básica do cinema brasileiro (online)
14:30h – O Romance da Empregada (sessão inclusiva: libras, audiodescrição e closed caption)
16:45h – Bye bye Brasil

22/09 a 01/11 streamming – Plataforma Eventim
Marlene de Sousa
Perfume de Gardênia

Serviço:

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico, Triângulo SP, São Paulo–SP
Aberto todos os dias, das 9h às 18h, exceto às terças.
Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô
Informações: (11) 4297-0600
Estacionamento Conveniado e Translado: O CCBB possui estacionamento conveniado na Rua da Consolação, 228 (R$ 14 pelo período de 6 horas – necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB). No trajeto de volta, tem parada na estação República do Metrô

bb.com.br/cultura

Ana Maria Braga e João Carlos Martins apresentam mostra em SP

Ana Maria Braga e João Carlos Martins apresentam mostra em SP

Créditos: Bruno Sereno


Com a curadoria de Ana Maria Braga e João Carlos Martins, inaugura no próximo dia 25, para comemorar o aniversário da cidade a exposição fotográfica “A Cara de São Paulo: Personagens da Cidade”, dos fotógrafos luso-brasileiros Catarina Machado e Bruno Sereno. A exposição acontece na Galeria de Artes da Casa de Portugal até dia até 26 de fevereiro e apresenta 20 personalidades nascidas ou não na cidade, mas que se reconhecem como paulistanas e fazem uma declaração de amor à cidade num vídeo que também integra a exposição.

Para essa exposição, que é uma iniciativa da Casa de Portugal com o apoio do Metrô de São Paulo, os seus sócios e diretores indicaram pessoas que são a cara da cidade, como: Abilio Diniz, Ana Maria Braga, Carlos Bettencourt, Carlos Tramontina, Demônios da Garoa, Djamila Ribeiro, Emanuel Araújo, Edu Guedes, Fafá de Belém, João Carlos Martins, Leandro Karnal, Marília Gabriela, Monja Coen, Massimo Ferrari, Maurício de Sousa, Nany People, Osvaldinho da Cuíca, Padre Antônio Maria, Silvio Santos e Supla.

Ana Maria Braga e João Carlos Martins apresentam mostra em SP
Créditos: Catarina Machado

Para Ana Maria Braga “nesta exposição para comemorar os 467 anos de fundação poderíamos retratar milhares de caras, rostos e semblantes que muito bem representariam a diversidade desta metrópole, mas foram, entretanto, escolhidas apenas 20 personalidades para integrar a primeira edição, mas fica a promessa para que, nas próximas edições, continuem sendo retratados outros personagens que representam e ajudam a escrever a história desta cidade.

O Maestro João Carlos Martins, que tem a sua história e da sua família ligada à história da Casa de Portugal, disse estar “muito honrado por ser curador ao lado da Ana Maria, nesta exposição que resgata não só a presença portuguesa na cidade, mas que também vai buscar em 20 rostos a identidade pluralista e universalista de uma cidade que acolhe calorosamente quem aqui chega.

A fotógrafa Catarina Machado, 22 anos, nasceu em São Paulo e desde pequena demonstrou suas aptidões para a fotografia capturando imagens em suas viagens de família. Concluiu o curso de Fotografia no Centro Universitário Belas Artes e foi aluna do IIF – Instituto Internacional de Fotografia. Sua percepção sobre a paisagem urbana e os elementos que a constituem já a levaram a realizar 3 outras exposições individuais e participações em algumas coletivas.

O fotógrafo Bruno Sereno, 24 anos, também nascido em São Paulo, é jornalista formado pela Anhembi Morumbi, podcaster e atualmente estudante de Relações Públicas na FECAP. Começou sua trajetória aos 18 anos quando comprou a sua primeira câmera e começou a registrar o Mundo, histórias e pessoas. Na atividade fotojornalística viveu o seu momento mais marcante na cobertura do Carnaval de São Paulo de 2020 no Sambódromo do Anhembi.

Uma réplica da exposição estará ainda disponível para visitação na Estação Paraíso do Metrô de 28 de janeiro a 28 de fevereiro.

SERVIÇO:

Exposição Fotográfica “A Cara de São Paulo: Personagens da Cidade”

Fotógrafos: Bruno Sereno e Catarina Machado

Curadoria: Ana Maria Braga e João Carlos Martins

de 25 de janeiro a 26 de fevereiro

das 9h às 17h

Galeria de Artes da Casa de Portugal

Av. da Liberdade, 602 – Liberdade – São Paulo

Entrada Grátis

Devido ao “protocolo COVID” as visitas devem ser previamente agendadas pelo telefone: (11) 3273-5555

de 28 de janeiro a 28 de fevereiro

Uma réplica da exposição estará disponível a todos os usuários do Metrô na Estação Paraíso

das 6h30 à meia-noite

Visitação livre.

Cidades: Exposição do fotógrafo Máximo Jr está no Shopping Frei Caneca


Créditos: Máximo Jr


O fotógrafo Máximo Jr reuniu imagens de 50 destinos capturados durante 14 anos de viagens pelo mundo e transformou em livro com renda dos direitos autorais revertida para o GRAAC. As fotografias usadas viraram a Exposição Cidades que está no Shopping Frei Caneca até fevereiro.

Entre os destinos estão São Paulo, Roma, Túnis, Marselha e Sevilha. “Procurei captar a essência do lugar, sempre respeitando as memórias arquitetônicas, brincando com a luz e enaltecendo o povo local”, explica Máximo Jr.

A mostra tem 26 imagens em preto e branco e é gratuita.

Serviço

Exposição de Máximo Jr

Título: Cidades

Período: até 02/02

Local: Piso 1 (próximo a Kalunga)

Mostra Gratuita e aberta ao público

Galeria Lume reúne esculturas de Claudio Alvarez em mostra inédita




Exposição reúne produção recente do artista, fruto de sua pesquisa em torno da percepção.

A visão, um dos sentidos essenciais da existência humana, é carregada de ideias pré-estabelecidas sobre os fenômenos que fazem parte do cotidiano. A percepção torna-se tão automatizada que só é possível constatar que se está enxergando quando o objeto de observação desafia o olhar com alguma característica que foge do comum. Aqui, é preciso suspender os pré-julgamentos e enxergar o novo objeto de forma pura. É o que propõe o artista Claudio Alvarez na exposição Quando Vemos, em cartaz na Galeria Lume, de 3 de dezembro a 6 de fevereiro.

A mostra reúne 12 obras, produção recente do artista, nas quais ele explora figuras reais e virtuais, fazendo uso de materiais como aço inox, madeira, vidro e acrílico, lentes, refletores, imãs e espelhos.

Para Alvarez, mais do que os fenômenos físicos, que estão presentes no cotidiano, interessa investigar a percepção humana e descobrir como as pessoas funcionam em relação a convivência com o mundo externo. O artista cria mecanismos em que aquilo que se vê entra em contradição com aquilo que se sabe.

Em Janelas Invisíveis (2019) Claudio cria, através de espelhos, duas figuras que parecem ser janelas, preenchidas por círculos iluminados que se avolumam repetidamente. Neste trabalho, o artista faz referência àquilo que é visível através destas supostas janelas e, como em outras obras, remete à possibilidade de coexistência de diversos espaços simultaneamente. A multiplicação infinita de elementos de luz e sombras sugere um percurso virtual onde os limites deixam de existir.

Já na obra Odisseia (2019) ele apresenta uma espécie de transformação material. O artista criou a partir de movimentos gerados por motores elétricos e materiais que provocam interações entre luz e sombra uma mudança de estado sólido para o líquido. A obra simula a partir dessas ferramentas a movimentação da água em um aquário. Alvarez propõe jogos visuais que transitam entre o real e o virtual e instigam o visitante a refletir sobre sua própria percepção.

Serviço:
Quando Vemos, individual de Claudio Alvarez
Local: Galeria Lume
Abertura: 3 de dezembro, terça-feira, a partir das 19h
Período expositivo: 3 de dezembro a 6 de fevereiro
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h | sábados, das 11h às 15h
Endereço: Rua Gumercindo Saraiva, 54 – Jardim Europa, São Paulo Telefone: (11) 4883-0351